Última semana de gravações de “Em 97 era assim”

4 de fevereiro de 2015

Experiências da adolescência ambientadas nos anos 90 são a temática do filme “Em 97 Era Assim”, dirigido por Zeca Brito e que está em na sua última semana de gravação em Porto Alegre. A produção é da Panda Filmes com coprodução da produtora Coelho Voador. Com roteiro de Leo Garcia, o filme acompanha quatro jovens em suas descobertas, dividindo seus dilemas em um final de ano letivo e com os hormônios à flor da pele.

O diretor destaca que esta é uma comédia. “A forma de se lidar com o humor hoje é muito mais pudica do que nos ano 80 e 90. A vida real é mais cheia de visceralidade”, opina. Por isso, o longa pretende apresentar questões como a amizade e o amadurecimento de forma mais “despudorada” do que se tem visto em programas padrão juvenis dos últimos anos. O foco será na transformação dos personagens em uma construção coletiva.

O colégio fictício da turma tem cenas gravadas em diferentes lugares, como a Biblioteca Pública, a Escola Ernesto Dornelles, a praça do Alto da Bronze e o Colégio Americano. A direção de arte e a trilha sonora irão retratar a época, marcada pelo surgimento dos celulares no estilo “tijolão” e de bandas como Raimundos. No noticiário, eram veiculadas reportagens sobre a ovelha Dolly e a princesa Diana.

Os pais pouco aparecem em cena e, quando isso ocorre, não representam um ideal. A questão da segurança pública também está embutida nos detalhes, pois os garotos andavam mais soltos e “menos vigiados” pelos pais do que hoje. “Tomamos o cuidado de rodar em casas sem grades”, comenta Brito. No elenco, estão novos talentos que estreiam no cinema. Entre os selecionados, Fredericco Restori, João Pedro Correa Alves, Pedro Diana Moraes e Júlio Estevan. Além dos novatos, integram o elenco atores como Rafael Tombini, Carla Cassapo, João França, Luís Franke e Jean Claude Bernardet (SP).

Este projeto foi o único gaúcho dentre os dez contemplados pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura em seu edital para produção de filmes de ficção de baixo orçamento em 2013. Por isso, o filme recebe um valor em torno de R$ 1 milhão para realização. A previsão é de finalização da obra até o segundo semestre deste ano.

Fonte: Correio do Povo

Fotos: Joba Migliorin

Panda Filmes lança quatro produções em 2018 e avança no mercado cinematográfico

14 de outubro de 2018

Novidades

Fundada em 2002 em Porto Alegre, a Panda Filmes, que já teve mais de 20 títulos lançados, comemora os resultados […]

A Superfície da Sombra, de Paulo Nascimento, entra em cartaz no interior do RS nesse sábado (9)

6 de junho de 2018

Novidades

Primeira produção brasileira totalmente falada em portunhol, A Superfície da Sombra, de Paulo Nascimento, entra em cartaz  no interior do RS nesse […]

Coprodução da Panda Filmes, Comboio de Sal e Açúcar, estreia 7 de junho nos cinemas

3 de junho de 2018

Estreias

Moçambique, em plena guerra civil, um comboio que liga Nampula ao Malawi é a única esperança para centenas de pessoas […]

Copyright 2015 - Panda Filmes - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por BigHouseWeb